Semana Design Rio

Começa na próxima quarta-feira, dia 23 de outubro, a Semana de Design Rio promovida pelo jornal O Globo. A semana contará com uma série de atividades no Jockey Clube e em vários escritórios do Rio de Janeiro.

Confira a programação completa aqui – http://oglobo.globo.com/projetos/designrio/

0

Just Design

Just Design é um livro escrito por Chistopher Simmons. O questionamento principal é o caminho que nós designers estamos escolhendo para seguir. O chamado “Social Design” pode às vezes nos trazer uma sensação de ser um papo ecologicamente chato, porém temos a necessidade de começar a acordar. Não basta apenas pensar o design como uma peça bonita, ou uma ilustração moderninha. O papel de um bom projeto de design deve estar alinhado a um bem para a sociedade.

No livro, a desiger Paula Scher lamenta que hoje os novos designers estão preocupados somente com o visual e não com a funcionalidade e benefícios sociais. A massificação do que é esteticamente bonito e correto nos deixa esquecer do real papel da profissão. O mainstream traduz como o bom design  o mesmo de sempre, não aquela idéia que contesta e sai dos padrões. E pior de tudo, isso é ensinado pelas escolas!

Apesar da bagagem histórica funcional de Ulm, hoje função não importa tanto. Apesar da estética minimalista e conceitual de Bauhaus, hoje arte e design se confundem sem trazer o melhor que cada pode proporcionar.

Segundo Simmons:

Design Makes a Difference!

0

O Legado de Stolarski

Eu fui um dos alunos do André Stolarski na ESPM Rio. Na verdade esse blog que está quase completando 6 anos de existência começou a ser escrito por um incentivo indireto do nosso professor. Ele era responsável por uma matéria chamada “Análise Gráfica”, fundamental na nossa formação. Os exercícios eram ótimos, olhar uma diagramação ou peça gráfica, discutir e depois escrever um texto sobre os estilos gráficos e funcionalidades.

Há exatamente 1 mês e meio nosso mestre nos deixou, vítima de câncer. Ficam os ensinamentos e as trocas de quem teve a oportunidade de conviver ao lado do André.

Nosso último contato com o Stolarski foi no Insert. No começo queríamos a palestra de um designer nacional, de uma geração que não fosse tão antiga mas que já tivesse experiência. O nome do André foi citado nas reuniões, mas não saberíamos se ele poderia fazer a palestra pelos trabalhos da Tecnopop e da Bienal de SP. Pois bem, ele topou participar, mas seria bem corrido pois ele sairia da abertura da Bienal de SP direto para o Insert. Fizemos todo o trabalho de logística para isso acontecer e tivemos uma das palestras mais densas de conteúdo que já assisti até hoje.

A palestra aconteceu no segundo dia do evento, antecedia o Pablo Alfieri e Joshua Davis. Muita gente foi ao evento para assistir essas 2 palestras internacionais, mas o André estava preparado para dar um show. Não aquele show que estamos acostumados a ver, com imagens incríveis de portifólio e clientes de tirar o fôlego. André falou da importância da criação para eventos culturais no Brasil e como o fluxo de informação acontece para promover eventos, discos e peças teatrais.

Ele já falava há mais de uma hora e não queria parar. Perguntou ao público:

” – Vocês estão gostando? Querem que eu encerre??”

Um nãããããão alto e claro invadiu o galpão. Era a nova geração tentando entender a cabeça de um grande pensador de design, talvez o maior da nossa época.

Quero citar o texto de um amigo e também aluno do André, o Fernando Morgado – fernandomorgado.com.br/tag/andre-stolarski/

Abaixo um vídeo que o João Faraco e Raul Aragão gravaram no escritório da Tecnopop, há um ano atrás.

RIP Stolarski

0

NoJPEG

Aprenda a não usar mais JPEG! O designer Larry Hynes fez um estudo sobre a utilização de outros formatos e viu que é melhor trabalhar de um outro jeito. Qual designer não passou por uma situação de pedir um logo e receber um JPEG sem qualidade? Pois é, Larry sugere fechar os arquivos em EPS e PNG.

Saiba das vantagens aqui -> http://nojpeg.org/

Dica: Arthur Boggiss

0

Tabela de Cargos e Salários 2013

Para quem está começando a entrar nesse mercado, ter uma noção do real valor do designer é tão importante quanto saber o tempo que se leva para ter uma carreira de sucesso. Afim de traçar um panorama de cargos e salários, a ADEGRAF lança uma tabela atualizada de valores referenciais do Distrito Federal. Segundo a ADEGRAF, os cargos e respectivos salários seriam:

Estagiário

Estudante de curso superior de Design, em fase de aprendizado, que participa de trabalho sob a orientação de um designer experiente.

Honorário mínimo para 20 horas* semanais: R$ 631,05
Honorário mínimo para 30 horas* semanais: R$ 946,59
Honorário mínimo para 40 horas* semanais: R$ 1.262,11

* Ver mais detalhes na Lei no11.788/2008.

Técnico em Design

Profissional formado em curso de nível técnico, que executa trabalhos de apoio na finalização de projetos gráficos.

Honorário mínimo: R$ 1.355,21

Tecnólogo em Design

Profissional formado em curso de nível superior de 2 anos, que executa trabalhos de apoio e desenvolve projetos gráficos de baixa e média complexidade, dentro da sua área específica de formação.

Honorário mínimo: R$ 1.763,91

Trainee

Profissional recém-formado em curso de nível superior tradicional (4 a 5 anos), com experiência limitada. Executa trabalhos de apoio e desenvolve projetos de baixa e média complexidade em todas as áreas do design gráfico.

Honorário mínimo: R$ 2.877,91

Designer Júnior

Profissional com formação em curso de nível superior tradicional (4 a 5 anos) e até três anos de experiência na elaboração e execução de projetos de média complexidade.

Honorário mínimo: R$ 3.517,45

Designer Pleno

Profissional com formação em curso de nível superior tradicional (4 a 5 anos) e/ou experiência de três a cinco anos na elaboração e execução de projetos de média e alta complexidade.

Honorário mínimo: R$ 5.024,93
Consultoria/Hora técnica: R$ 251,23

Designer Sênior

Profissional com formação em curso de nível superior tradicional (4 a 5 anos) e/ou experiência de cinco a sete anos na elaboração e execução de projetos de alta complexidade.

Honorário mínimo: R$ 7.080,59
Consultoria/Hora técnica: R$ 354,00

Designer Coordenador

Profissional com formação em curso de nível superior tradicional (4 a 5 anos) e/ou experiência de mais de sete anos na função de coordenador de vários projetos, participando da concepção, desenvolvimento e resolução de problemas administrativos, técnicos e estruturais. Mantém contato direto com a diretoria dos clientes e/ou com seus representantes.

Honorário mínimo: R$ 8.983,98 Consultoria/Hora técnica: R$ 449,19

E aí, você acha que o valor está de acordo com a realidade do mercado de brasileiro? Acha um bom valor para o trabalho do designer?

0

Prêmio Brio

Prêmio Brasil Digital – BRIO 2013

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Brasil Digital – BRIO 2013. Inscreva projetos de websites, experimentos online, aplicativos móveis ou publicações digitais, e concorra aos selos e troféus do BRIO. Envolvendo mais de 50 parcerias, entre instituições de diversas áreas do setor e profissionais experientes do mercado, o Prêmio Brasil Digital irá premiar os melhores projetos para mídias digitais feitos no Brasil, buscando valorizar excelência em design e desenvolvimento. Participe!

BRIO

Saiba + http://premiobr.io/

0

Banksy vende sua arte em NY por U$60

O aclamado artista inglês Banksy resolveu passar umas férias em NY. Pra quem “ainda” não o conhece, Banksy é famoso pelos seus stencils feitos ao longo de muitos anos em Londres. Com sua identidade ainda não revelada, o artista chegou a um patamar interessante no mercado de arte. Hoje suas obras valem muito, com clientes exigentes como artistas de Hollywood e importantes colecionadores.

Pois bem, na sua chegada ele já teve graffiti apagado, em outra ocasião escreveu uma frase no muro que agora está cheia de oportunistas que cobram para você tirar uma única foto.

Agora ele inventa outra. Montou uma banquinha simples de arte na rua, com suas artes originais sendo vendidas por míseros U$ 60. Lógico que não vendeu muito, poucos foram os que compraram e nenhum deles se tocou que se tratava de um Banksy original. Abaixo o vídeo da “pegadinha” Banksy.

No seu Instagram ele escreve:

Yesterday I set up a stall in the park selling 100% authentic original signed Banksy canvases. For $60 each. Total takings for the day $420 Please note: This was a one off. The stall will not be there again today.

Já não sei mais o que é falso, o que é verdade. Duvido até do Instagram dele. A última é que o Banksy pode ser o Skrillex. Tomara!

1

Dusty Signs

Podemos chamar de “tipografia vernacular” todas aquelas informações textuais que estamos acostumados a ver nas fachadas dos butecos de nosso país, sem um padrão gráfico bem elaborado, sem aquele estudo de grid baseado em Bauhaus e Ulm. Aqui a diferença é uma linha mais artística, muito utilizada nos anos 50 e que ainda hoje continua bela e funcional. O que os americanos chamam de “Tradicional Hand-Lettering” a gente também faz aqui, com mais swing e menos compromisso, tão legal quanto!

Fonte: Pristina.org

0

StreetArtRio

Um catálogo vivo e diário das ruas do Rio de Janeiro. É fácil, você tira a foto pelo Instagram, coloca a hashtag #StreetArtRio, faz a geolocalização e voilà!

http://streetartrio.com.br/

#StreetArtRio é uma iniciativa independente, que tem o objetivo de identificar e mapear obras de artistas locais através de ações colaborativas. A ideia é reunir em um só lugar as intervenções registradas principalmente por amantes da Street Art, que fotografam com seus celulares, câmeras e outros gadgets, as obras encontradas pelo Rio de Janeiro, e compartilham nas suas redes sociais. Ao reuni-las, daremos mais visibilidade a essas divulgações, além de identificar os artistas e oferecer ao público a localização da obra, onde poderá vê-la pessoalmente.

0