Doações Tipográficas

Todos sabemos que estamos passando por muitas dificuldades no estado do Rio de Janeiro devido à força das chuvas e aos constantes deslizamentos na região serrana. Hoje recebi por email uma atitude primorosa do designer Daniel Justi, que está disponibilizando algumas fontes em prol de ajudar quem está em momentos de dificuldade.

Segundo Daniel em seu Flickr:

Pensando em fazer minha parte para ajudar as vítimas das chuvas no Rio de Janeiro, resolvi usar minhas fontes tipográficas como forma de estimular as doações.

Como funciona:
1. escolha uma das contas oficiais de doação (listadas em g1.globo.com/rio-de-janeiro/chuvas-no-rj/noticia/2011/01/…;
2. faça o depósito, com base nos valores no final da lista;
3. envie o comprovante para [[email protected]], indicando a(s) fonte(s) desejada(s) de acordo com o valor.

Valores:
A cada R$ 10 doado, escolha 1 peso de qualquer família; doando R$ 50, escolha 7 pesos; e doando R$100 ou mais, leve todas as fontes (15 no total).

Obs.: não aceito nenhum tipo de depósito pessoal. Todas as doações devem ser feitas para as contas oficiais.
Este é um ato muito pequeno e específico, mas qualquer forma de ajuda é válida.

Agradeço a quem puder ajudar na divulgação!

Sobre Uno de Oliveira:

Uno nasceu com nome de 1.0, mas funciona em alta velocidade. Videografista "do rock" é fã de design de qualidade, tatuagens, cerveja e Marlboro. Trabalha na Rede Globo e faz uns desenhos meio estranhos.

Outros posts de Uno de Oliveira:

    Nenhum post encontrado

8 comentários para “Doações Tipográficas”

        • João Faraco

          Nem um, nem outro. Isso é o modelo ganha-ganha, como a teoria de non-zero sum de John Nash, onde se um dos participantes abrir mão de uma porcentacem do seu lucro, ambos os lados continuam ganhando: doações são feitas para a causa, e ao mesmo tempo o designer tem seus tipos divulgados, apesar de ter aberto mão do lucro monetário.

          Responder
    • Daniel Justi

      filipe, reclame com um email válido. ou melhor, pare de reclamar e faça alguma coisa.

      é muito fácil ficar botando defeito e querendo ser o fodão que descobriu que alguém quer se promover. você acha que teria sido melhor eu não fazer nada?

      não existe esse tal de “merchan” quando o assunto é vender fontes no brasil. quem conheçe o mínimo do mercado, sabe disso. informe-se, faz bem.

      enfim, pode pensar o que você quiser. eu realmente não me importo.

      Responder
  1. Felipe

    Também não vi “maldade” na intenção. Achei um ato nobre, isso sim. Parabéns ao designer Daniel Justi pela iniciativa. E por que não ter o trabalho divulgado? Ele já merece só por ter pensado como poderia ajudar.

    Responder

Deixe um comentário construtivo

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>