Por uma Internet Livre!

Queria fazer um desabafo para todos os leitores do Caligraffiti e explicar porque ficamos boa parte dessa semana com o site fora do ar. Recebemos um email do ECAD dizendo que teríamos que começar a pagar por embedar vídeos sonorizados do You Tube e Vimeo. Segundo o ECAD:

“Esclarecemos que, toda pessoa física ou jurídica que utiliza músicas publicamente, inclusive através de sites na Internet, deve efetuar o recolhimento dos direitos autorais de execução pública junto ao ECAD, conforme a Lei Federal 9.610/98.”

Então o ECAD além de ganhar do Google e Facebook agora está começando a taxar todos os sites que têm algum tipo de sonorização, mesmo sendo um compartilhamento. E o valor não é barato! O pior de tudo é que o Caligraffiti não é uma empresa e nem tem fluxo de caixa, não há beneficiamento financeiro em nenhum patamar. O projeto é bancado pelos próprios escritores que acreditam em poder contribuir com a evolução do design nacional.

E pasmem, a nossa legislação atual compactua e protege o ECAD a fazer esse tipo de cobrança. Não temos saída, a não ser colocar a boca no mundo e cobrar leis mais flexíveis quando o assunto é internet.

Conversamos com muita gente, blogueiros, advogados especializados e formadores de opinião, todos concordam que esse tipo de atitude inibiria a blogosfera brasileira, que utiliza muito material compartilhado de grandes canais de vídeo online. Por opiniões unânimes decidimos recolocar o site no ar e encarar a briga, caso realmente eles queiram isso.

Hoje em um mundo web 2.0 não podemos nos abster de compartilhar o que achamos interessante no nosso site. É contra a liberdade de expressão e totalmente contra alguns dos mais importantes princípios do Caligraffiti, a divulgação, compatilhamento e discussão de assuntos relativos ao design, arte e cultura.

Sobre Uno de Oliveira:

Uno nasceu com nome de 1.0, mas funciona em alta velocidade. Videografista "do rock" é fã de design de qualidade, tatuagens, cerveja e Marlboro. Trabalha na Rede Globo e faz uns desenhos meio estranhos.

Outros posts de Uno de Oliveira:

    Nenhum post encontrado

302 comentários para “Por uma Internet Livre!”

  1. Leo Faria

    Eu apóio!!
    Entendo que os músicos devem receber pelos direitos autorais, mas em vídeos compartilhados do youtube, vimeo, etc que já pagaram essa taxa? Aí é demais!!
    Essa semana mesmo eu li sobre uma noiva que pagou uma fortuna para o ECAD pelas músicas tocadas em sua festa de casamento!!! Ela entrou com um processo e essa semana o juíz bateu o martelo dando ganho de causa à noiva!!

    Responder
    • LA

      Eu apoio também. Éca-d é só intermediário querendo nos ordenhar! Parabéns ao juiz que deu ganho de causa à Noiva! Ao INFERNO com o Éca-d e sus mentalidade idiota! Viva a liberdade. :-)

      Responder
  2. Ricmajor

    Postem apenas a imagem com o link para o youtube explicando que o mesmo possui som e que vocês não estão divulgando por meio do ECAD, para vocês o fluxo continuará o mesmo, os objetivos continuarão os mesmo pois ainda terão todos os leitores e quem deverá arcar os custos é o You tube que é o responsável por hospedar os vídeos.

    Responder
    • Uno de Oliveira

      Essa é uma saída, já pensamos nessa alternativa…

      Agora pra mim o que pega é essa política. Imagine a internet inteira, sem poder compartilhar os vídeos que são publicados no YouTube…

      Responder
    • Andrea

      Boa saída, ia comentar o mesmo, direitos autorais é complicado aqui no Brasil, o que deve ser defendido realmente só está no papel, na hora do vamos ver é peixe grande engolindo peixe pequeno, abraços.

      Responder
  3. Jonas Rafael Rossatto

    Uma sugestão?
    Faça como o Cocadaboa fez, hospede o site longe em outro pais (ex; slovenia) e crie um dominio internacional.

    O ECAD tem muito costume de encher o saco dos .com.br e fora eles não fazem nada. E nem podem fazer muita coisa a não ser chorar. Ou mandar um email ridiculo pra hospedagem.

    É triste ter que fazer isso, mas os direitos brasileiros andam na mesma linha da política brasileira, uma merda. E quem realmente contribui com conteúdo relevante é taxado de “pirata” de violador de direitos autorais e diabo a 4.

    Responder
    • Arthurius Maximus

      Um olá a todos!

      Isso não funciona. Já há um dispositivo legal prevendo que a validade para processo é a habitação do dono do site e não do site. Ou seja, se o dono do site atacado pelo ECAD estiver moando no Brasil ele está subordinado as leis locais e pode ser punido pelo seu descumprimento. Mesmo que o site esteja fora do sistema solar.

      Responder
  4. Marcel Leal

    O que tem que ser revisto é o modo como se recolhem esses direitos autorais dos artistas. É justo que recebam pelo seu trabalho, deixe-se claro.

    Mas os próprios artistas não entendem como é recolhida esta verba e, no fim das contas, essa grana sustentam os “dinossauros” como foi muito bem dito pela Camila.

    ECAD (e CBF, e Infraero, e Ministério da Pesca, a lista é grande..) tem que ser extinto e a própria comunidade de artistas deve discutir como (e se) querem ser remuneradas dessa forma. Duvido que a maioria concorde em receber por esse tipo de exibição, onde claramente não há uma exploração da obra.

    De certa forma, é o que já está acontecendo no mundo com o Creative Commons, esperemos que pegue por aqui…

    Responder
    • Renata

      Só um comentário à questão levantada pelo Marcelo, sobre a extinção do Ecad. O Ecad é uma ‘associação’ de entidades representativas de artistas, que atuam em nível local. Não é, portanto, algo governamental e o governo não tem o direito de extinguí-lo ou algo parecido. Aliás, só de pensar no governo fiscalizando o Ecad já foi um fuzuê, na época em que estava sendo debatida a questão da legislação de direitos autorais no Brasil.
      O buraco é mais embaixo. Mas o que se poderia analisar mais profundamente (eu não fiz isso, não sei se alguém teria a resposta) é de onde sai essa força de lei do Ecad. Porque mesmo músicos que queiram voluntariamente permitir o uso de suas criações, sem arrecadar por isso, também têm seus valores recolhidos pelo Ecad. E o Ecad funciona como força de lei para todos que executarem publicamente uma música (e isso pode ser até o rádio – sim, o rádio, que já está pagando a emissão – que tá no salão de cabelereiro onde vc está). E essa legitimidade e legalidade do Ecad, acima até mesmo do governo é que eu definitivamente não compreendo………

      Responder
      • ricardo

        Quando se diz que certo órgão está acima de um governo, ou que juridicamente não se pode fazer nada contraeste mesmo orgão, significa que as autoridades estão condizentes com a situação e não existe vontade politica para resolver a situação devido varios fatores, entre eles, o proprio beneficio que alguem o algum órgão de poder mais elevado esteja levando. Resumindo quando o governo ou algum partido ou ministerio ou seja la o que for esta levando um “por fora”, deixa a situação correr frouxo. Garanto que se não houvesse ninguem la de cima levando vantagem com o ecad, este ja teria perdido a força ou teria sido extinto.

        Responder
  5. Maria Amalia Cursino

    Uno, vivemos tempos estranhos, na pior acepção do significado disso! Cara, tô chocada com isso! Estamos na era do compartilhamento, com o advento da web 2.0, como vc bem disse, e isso deveria ser encarado como um privilégio, uma oportunidade espetacular conquistada e vivenciada por toda a humanidade, globalmente. Esses embargos e essas retrancas, sobretudo os mais recentes, com uma carga furiosa e reacionária surreal, são um sinal de atraso absurdo, o retorno a um passado de censura e coerção, um paradoxo impensável: o tempo avança, as mentes caducam e o ECAD pira!

    Responder
    • Luciano Silveira

      Ah, isso é balela. Vai voce ser artista, fazer teu trabalho, e na hora de receber pelo que tu fez te dizerem que “vivemos na era da liberdade, do compartilhamento”.

      Isso nao existe. Quero ver teu chefe chegar pra ti e dizer: a partir de agora, tu nao será mais paga, porque vivemos na era da alegria, e trabalhamos pra não receber nada em troca!

      Eu particularmente acho que os sites, blogs e etc devem sim pagar pelos direitos autorais. Eles existem, e constituem uma das formas legítimas do músico sobreviver. O que pode existir, aí sim, é a legislação determinar que o princípio da insignificância (que é uma excludente de tipicidade) pode vir a ser utilizado para retransmissões via internet, desde que o site/blog tenha no máximo um X numero de visualizações mensais. 1.500 visualizacoes diárias na internet é diferente de 1.500 pessoas assistindo um show numa casa de eventos. E aí que pode vir a diferenciação.

      Mas a cobrança de direitos autorais é legítima, e deve continuar a existir. “Mundo do compartilhamento” uma pinóia. Profissionais devem ser remunerados após a utilização de seu trabalho, com ou sem fins lucrativos.

      Responder
      • Márcio Machado Pontes

        Tsc.. palhaçada… na grande verdade os Artistas que gravam cd, não ganham quase nada em cima dos cds vendidos, quem ganha são as gravadoras. por isso tem um monte de artista ai fazendo e gravações de gravadoras independentes, e disponibilizam as musicas pra todo mundo na internet, se ganhassem dinheiro mesmo, vocês acham que eles iriam disponibilizar as musicas na internet de graça? é só uma questão de pensar, os artistas não ganham praticamente “nada” na venda dos cds, é uma merreca de nada, ainda mais agora na era da tecnologia, onde quase ninguém mais compra cds.

        Responder
      • Bruno

        Luciano,

        Acho que poucos aqui acreditam que artistas não devam receber o que lhes é de direito.
        A discussão é sobre a forma de arrecadação abusiva, agressiva e descabida praticada pelo Ecad.

        Um conteúdo de Youtube “linkado” (ou “embedado”) em um site, continua nos servidores do Youtube. Os acessos são contabilizados em um único lugar. Os blogs na verdade, são veículos para mais acessos ao conteúdo nos servidores do Youtube. O ECAD quer se beneficiar duplamente. Se existe alguém que deva pagar algo para o Ecad, esse alguém é o detentor desse conteúdo, o viabilizador do conteúdo na internet, a origem. Sem Youtube, os vídeos não existem. O Youtube deve ou deveria pagar por cada acesso a esse conteúdo, não importando o ponto de origem desses acessos.

        Quem aponta para os vídeos, gerando mais acessos, deve pagar? Isso não faz o menor sentido.

        Novamente: os blogs são veículos para mais acessos ao conteúdo nos servidores do Youtube, Vimeo, etc.

        Mas o buraco é mais embaixo.
        Triste e retrógrada mesmo é a nossa legislação medieval, que viabiliza a existência (excrescência?) de um orgão retrógrado, esotérico, não-transparente e voraz como o Ecad.

        Responder
        • Luciano Silveira

          Bruno,

          A legislacao de direitos autorais no país nao é ruim. Ela é melhor que a de grande parte dos outros países. As vezes dou risada de gente que cita “legislacao retrograda” sem conhecer o minimo de legislacao. O mero fato de a legislacao nao citar “internet”, mas sim “meios via cabo, eletromagneticos” e etc mostra que a intencao do legislador é nao limitar a lei a determinada forma de propagacao, mantendo a lei abrangente e valida mesmo perante novas tecnologias.

          Eu também nao concordo com a forma de atuacao do ECAD, e como podes ver, sugeri inclusive a aplicacao analógica do “princípio da insignificância” nestes casos, com determinação legal sobre qual o limite de visualizações que gerariam o direito.

          O que não dá é a maioria das pessoas que vejo aqui, dizendo que a “internet é compartilhamento e blablabla”. Em resumo: nao querem pagar nada a ninguem, sob a “desculpa” de que estao em um “ambiente livre”. Nao é por aí. Conteudo de graça nao existe. Alguem SEMPRE fatura. E como disse antes, queria ver a atitude dessas pessoas quando quisessem utilizar de graça o trabalho delas…

          Sobre o caso em questao, concordo que tecnicamente vídeo “embbed” fica nos servidores do Youtube, nao podendo haver tal pagamento em duplicidade.

          Mas lembre que em diversos países existem instituições identicas ao ECAD, inclusive nos EUA.

          Responder
  6. João Faraco

    Taí a carta pública que o Google escreveu quando o ASCAP (ECAD americano) tentou taxar sites que embedavam seus vídeos, em 2009:

    There have been a few questions in the forum regarding ASCAP and we wanted to provide our perspective on the issue. We have become aware of yet another misguided effort on the part of ASCAP to double dip — this time by pressuring third-party websites which embed YouTube videos to pay royalties to ASCAP.
    We believe there is no legal basis for ASCAP’s position because YouTube itself is currently licensed by ASCAP pursuant to its application made under the antitrust consent decree that governs ASCAP’s operations.
    The license requested by YouTube covers all US public performances of ASCAP music in YouTube videos from YouTube’s servers all the way through to the end user, regardless of whether a third-party website is embedding the YouTube player.
    We believe that YouTube has already cleared any necessary public performance rights for US playbacks of ASCAP songs, and ASCAP’s attempt to collect an additional payment from another party for the very same stream is not credible.

    fonte

    Responder
    • Rodrigo Fonseca

      Uno,

      sem entrar no mérito de intenções do ECAD ou da inutilidade do órgão, o argumento técnico é claro e suficiente para invalidar a cobrança. É fato de que o video que aparece em seu blog não está hospedado em seu site, e a transmissão ocorre diretamente entre o navegador do usuário final e o YouTube (ou Vimeo, ou qualquer outro site). Você colocar uma *referência* ao video na sua página: tecnicamente o que ocorre é que você está sugerindo ao navegador do seu usuário que ele contacte o YouTube e peça para ver o video. É, de certa forma, a mesma coisa de que se você me contasse qual o ID do video no YouTube em uma conversa e eu o acessasse. A diferença é que seu navegador faz isso automaticamente, mas quem mostra o video é o YouTube!

      Isso é exatamente o mesmo argumento feito pelo trecho em inglês do Google para a ASCAP em um dos comentários anteriores, e um juiz inteligente deveria compreender isso e estabalecer a jurisprudência necessária.

      Parabéns por voltar com o blog!

      Rodrigo Fonseca
      Departamento de Ciência da Computação
      Brown University, USA

      Responder
      • Speed

        Rodrigo, correta a sua observação sobre o embed.
        Não pode ser considerado retransmissão o embed. Se assim fosse, hyperlinks para qualquer conteúdo, por extensão, estaria coberto nessa prerrogativa.
        Entendo como retransmissão o ato de receber um conteúdo por um meio, reprocessar e depois retransmitir, tal qual emissoras de TV ou Rádio pelo interior, afiliadas a emissoras geradoras de conteúdo, que recebem o sinal por satélite e retransmitem via terrestre.
        Até onde eu saiba, a maioria das plataformas de blog não possuem aplicações de streaming, de forma que o conteúdo é transmitido diretamente do fornecedor desse.
        Então a conexão em que o streaming ocorre é entre o youtube e o consumidor final desse conteúdo. Não tendo interferência do blog nessa transmissão, ele não é parte do processo, apenas um indicador de localização desse conteúdo. Logo não pode ser taxado.

        Responder
    • Feliz

      Sim. O ECAD afirma que ao embutir um vídeo do YouTube, o blogueiro está retransmitindo e inaugurando uma nova exibição pública.

      Responder
      • Jose

        Caro Feliz, a interpretação técnica está incorreta. Não há retransmissão. O navegador do usuário (visitante do blog) é quem busca o vídeo diretamente nos servidores do youtube e exibe junto da página do blog de acordo com a tag html inserida na página. Os servidores do blog não participam deste processo de streaming: não há cópia local do vídeo no servidor do blog e este também não atua entre o navegador do usuário e o youtube (diz-se que não faz “proxying”).

        O ECAD não sabe como a internet funciona: objetos embutidos em html, hosting, DNS, http, streaming etc é um mistério para eles. Eles pararam no tempo, pensam a internet como se fosse rádio ou televisão.

        Qualquer técnico em informática consegue demonstrar que o navegador busca o vídeo diretamente nos IPs do youtube, comprovando que não há retransmissão.

        Responder
        • john

          Beleza José,
          Tua explicação está muito clara. Por essa explicação pensei até o seguinte: como o blog apenas direciona para o Youtube, e é lá que o video é transmitido, então o blog funciona como uma propaganda do Youtube. Se não fosse o blog haveria uma transmissão a menos. Então o blog faz propaganda do vídeo. Então o blog deve COBRAR do ECAD uma taxa pela propaganda.
          Abr

          Responder
        • Corsario

          Seguindo o raciocínio do John e do José, vale lembrar que não estamos re-transmitindo nada, isso aqui não é rádio nem televisão. E ainda fazemos propaganda daquele vídeo pelo qual o ECAD já foi devidamente pago pelo Google.
          Sugiro que façamos o seguinte: que todos comecemos a enviar diariamente uns poucos e-mails (uns 50 mil por dia devem bastar) cobrando o ECAD pelo uso dos nossos veículos de propaganda, e retwittando os mesmos, o que acham?

          Responder
  7. alberto1234

    No inicio de carreira eles colocam os videos e pedem para os blogs divulgarem. Depois que fazem sucessos ele cobram…

    Se tepender de mim eles morrem de fome

    Responder
  8. alberto1234

    Nós ja pagamos banda larga,que de larga não tem nada, daqui á uns 10 ano vamos entar na net e vai vir uma mensagem disendo: ” O Sr. tem duas opções de navegar:com graficos ou textos, se quiser ver imagens tem de pagar, sómente texto é mais barato, mas paga uma taxa dos Direitos Autorais… “

    Responder
  9. Cleovane Selbach

    Utilize música internacional, pois eles só podem cobrar por obras brasileiras. Seria uma espécie de boicote ao produto nacional. Os próprios artistas sabem que muitos lugares boicotam a música nacional por causa do ECAD, e por isso reclamam.

    Responder
    • Alberto J. Azevedo

      Essa seria uma excelente idéia, mas o ECAD tem contratos internacionais para cobrar por artistas internacionais no território Brasileiro também. Tanto que realizam cobrança dos cinemas pela trilha sonora dos filmes. Legalmente a solução aqui é simples, usar um dominio .com ou .org e preferencialmente hospedar o site fora do Brasil. Pronto resolvido, mas precisamos pensar em algo para lutar contra isso. O ECAD esta passando dos limites do aceitável.

      Responder
  10. Fernando Magno de Oliveira

    Infelizmente vivemos numa sociedade onde as pessoas só visam lucros materiais. Concordo em pagar pelos direitos autorais… Porém o site host(YouTube) já faz isso por obrigação. Os outros nada mais fazem que divulgar o que é publicado no YouTube.

    Lixo de sociedade, lixo!

    Responder
  11. Anderson Couto

    Daqui a pouco eles vão querer cobrar taxa de cada usuário de rede social que compartilhar posts com vídeos que tenham música… Vão roubar da mãe, bando de pilantras!

    Responder
  12. Bruno Vide

    É igual em todo o lado…. Em Portugal chama-se Sociedade Portuguesa de Autores (SPA). Dessa acho que ainda não se lembraram, não deve faltar muito!!!

    Responder
  13. FUSCA

    ANA DE HOLLANDA transformou o MINC no ministério da S.O.P.A ,da P.I.P.A , e do A.C.T.A. ————————–BLOG TREZENTOS

    Responder
  14. FUSCA

    continuado…O “ECAD”quer quer aplicar seu AI-5 DIGITAL contra o compartilhamento da CULTURA,apenas extorquindo a nós usuários.

    Responder
  15. FUSCA

    O ECAD perdeu um processo judicial em que tentava tirar uma grana de festinha de aniversário…PRECISAMOS recuperar o bom senso

    Responder
  16. FUSCA

    O GOVERNO BRITANICO quer punir internauta com pena de até 10 anos de prisão por baixar música. CARLOS LATUFF tem uma charge criticando a LEI AZEREDO

    Responder
  17. Helen Pereira

    O ECAD é o reflexo da organização legislativa do país. Nada no país é criado em benefício do cidadão ou que organize sua vida, que lhe mostre os direitos e deveres, mas sim é punitivo, é retardatário, é via contrária. A gente sabe das leis no susto, na proibição por censura. O ECAD é oportunismo puro. Em cima de nossos artistas, tem um bando de sacanas querendo levar em cima. Às vezes, dá vergonha ser Brasil.

    Responder
  18. Jose

    Caros, acho que posso ajudar. Veja, o Ecad tem direiro de cobrar sobre a retransmissão do sinal pelo blog, certo? Ocorre que o seu blog não faz retransmissão nenhuma! Você não mantem uma cópia do vídeo no servidor do blog. O vídeo está e é transmitido sempre a partir do youtube (que já paga os direitos). O que vc faz é colocar uma tag html que o navegador interpreta para buscar o vídeo em outro site e exibir junto com o conteúdo da sua página. Se um técnico qualquer fizer uma captura de pacotes de rede, vai observar que o streaming de vídeo vem de um endereço IP dos servidores do youtube e não do seu.
    Então, não há nenhuma retransmissão a ser cobrada. Se eles forem cobrar pelo link, isso não está previsto na lei (que aliás, é ridícula).
    Espero que ajude.

    Responder
    • Alberto J. Azevedo

      Concordo, e faz sentido, se fosse assim o ECAD deveria querer cobrar de todas as retransmissoras do sinal da Rede Globo por exemplo, e ele como todos sabemos, ele cobra (ou tenta) diretamente(e somente) da rede globo a taxa.

      Responder
    • João Faraco

      Obrigado pela força Jose, e todos que estão comentando aqui. Você está certíssimo, pois o próprio termo “transmitir” já tem um significado diferente na internet, do que em mídias tradicionais, para as quais as leis mal-escritas que o ECAD se baseia são destinadas.

      Esse é um dos milhares de argumentos que temos, caso o ECAD resolva mesmo levar isso a sério, porque até agora tem sido uma piada.

      Responder
  19. Marcelo

    Boa sorte na luta contra o ECAD. O ECAD tradicionalmente é uma caixa preta. Nenhum artista sabe como, quanto e pra onde vai esse dinheiro.

    É mais ou menos o princípio do governo: arrecadar, arrecadar, arrecadar e não dar nada em contrapartida para ninguem a nao ser eles próprios.

    Responder
  20. Vilma

    Se eu puder ajudar vocês de alguma forma, estou aqui me solidarizando. Também tenho um blog e trabalho com Redes Sociais, portanto tenho todo o interesse do mundo em impedir este verdadeiro absurdo que o Ecad tá tentando fazer com vocês. Me digam de que forma a blogosfera pode ajudar.

    Responder
  21. byMel

    É GOLPE do ECAD!
    Estão querendo receber em dobro.
    Cobrança indevida.
    O embebed só faz o LINK, a ‘hospedagem’ é do Youtube, que JÁ PAGA por views.

    Responder
    • byMel

      complementando..

      O vídeo assistido no seu blog (ou em qqer outro, por embebed) marca o view no CONTADOR do YOUTUBE.
      Portanto.. é golpe de cobrança duplicada!
      O Youtube JÁ PAGA ao ECAD.

      Responder
  22. Luiz Motta

    Queridos amigos, promovemos encontros de bandas na nossa cidade, num evento apareceu o ECAD com um fatura d R$ 680,00 pelos direitos autorais. Pedimos por qual musicas eles estavam cobrando direitos uma vez que todas as bandas e musicas d fundo era autorais. Enfim tocamos nossas próprias musicas e eles queriam cobrar direitos para quem?
    Temos milhões d banda Underground querendo q toquem suas musicas, aproveitem e usem q vão esta fazendo favor a seus donos. Lembra ECAD que a principio quem posta videos no Youtube são seus próprios autores. D resto maravilhoso o trabalhos d vc’s

    Responder
  23. Ilsson

    Indignação é a palavra ao saber sobre esse descalabro. Temos que nos levantar contra isso, querem impedir de propagar o conhecimento.

    Caçando os grandes sites de compartilhamento de arquivos e agora contra os blogs.

    Ridículo.

    Ecad precisa se reformular ou acabar. Com essa visão ultrapassada não há futuro.

    Responder
  24. Pablo Souza

    Quem vê o ECAD agindo assim acredita que os autores sejam tratados com o mínimo de seriedade por parte da entidade. Se o R$ arrecado fosse de fato para os autores…
    Como autor que sou clamo por uma internet livre. Acho que primeiro é preciso ver a função do material que consta uma obra musical, se não há fins lucrativos não vejo problema. Já pensou se os DRs Da Alegria por exemplo tivesse que pagar o direito pelas obras executadas por eles nos seus cuidados às crianças com câncer? ECAD, faça algo útil para a classe.

    Responder
  25. WRS

    Acho esta atitude de cobrar de blogs/sites e até de muitos outros tipos de reprodução um absurdo. Tenho uma webradio e creio que logo vão começar a agir. Será que se todos nós que divulgamos e fazemos o sucesso dos artistas parassemos com esse trabalho que em sua maioria é em troca de nenhum centavo eles venderiam suas obras? Se isso virar moda, todos nós que trabalhamos com a web teremos que nos unir e mostrar a importancia que nossos blogs/sites tem.

    Responder
  26. Hugo Arao

    hoje, o compartilhamento de video é uma “mao na roda“ para quem quer mostrar seu trabalho, ja ouvi isso de amigos que sao musicos entre outros, até depoimento de artistas consagrados é achado com facilidade na internet dizendo sobre os videos que sao publicados de seus shows e letras musicais os ajudam no sucesso, e sao muitos os exemplos. como Luan Santana, que estourou por uma musica que foi gravada e colocada na web por um amigo sem ele saber, e que estourou no pais. até a pirataria que é algo ilegal, ajuda e MUITO o crescimento desses artistas por todo o brasil. esse ECAD esta de brincadeira!

    Responder
  27. Thales

    Uno, apoio a causa! Estou contigo! Temos que comprar esta briga mesmo! Onde já se viu…daqui a pouco o ECAD vai querer cobrar ou aplicar multa a cada pessoa que estiver cantarolando pela rua!

    A internet é um veículo de informação, troca de conhecimentos, ideias…é um veículo onde uma informação se torna viral rapidamente…esse é o grande lance da internet, podemros compartilhar nossas ideias, ideais, gostos e opiniões com todo o mundo em frações de segundos! Isso aumenta a cultura popular, a criatividade, o aprendizado..será que essas pessoas não entendem isso? Como cobrar por compartilhamento, ainda mais com o veiculo hospedador, já pagando por isso! Chega a ser revoltante!

    Isso é o resultado de pessoas retrogradas no comando de certas instituições e vou além, de pessoas burras, estupidas, e que sequer sabem pesquisar alguma coisa na internet, sequer saber mexer em um computador, nos governando, criando e regrando leis!

    A internet é um mundo virtual completamente livre! Portanto tem que se ter liberdade de expressão em qualquer forma dela!

    Quem tem que cuidar dela, são pessoas que entendam o que ela (internet) é e o que ela significa, e não dinossauros!

    O ECAD não pode ter esse direito que a nossa Lei os dá! Não se pode cobrar por compartilhamentos e difusões de qualquer informação que tenha direito autoral, pode-se até cobrar do hospedador, caso ele não seja o dono dos direitos, mas de um compartilhador, nunca! Ainda mais se tratando de um veiculo sem fins lucrativos! Jamais!

    Responder
  28. Douglas

    Se isso ajuda vcs:

    “para o advogado Manoel Joaquim Pereira dos Santos, a interpretação da LDA pelo Ecad é equivocada, segundo seu extenso parecer divulgado por publicação da Associação Brasileira da Propriedade Intelectual. “A disponibilização de obras musicais denominada ‘oferta especial de streaming’ constitui distribuição individualizada de fonogramas que não se enquadra no escopo do artigo 68 da Lei n.° 9.610/1998, visto tratar-se de utilização isolada e não coletiva. Nada é devido ao Ecad por essa modalidade de oferta de conteúdo”, afirma Santos.”

    Fonte: http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,pagamento-ao-ecad-e-por-streaming-argumentam-minc-e-escritorio,818764,0.htm

    Responder
  29. wagner costa

    Cara, o Ecad é uma máquina de “roubar” dinheiro para os próprios bolsos, pois todos os artistas reclamam que não recebem honestamente desse sistema de arrecadação.
    É uma pena que num país como o Brasil ainda exista um sistema desse.
    NÃO PAGUEM!!!! Eles não tem como punir vocÊs!

    Responder
  30. André Dutra

    O autor do vídeo,tem a opção de não liberar a incorporação do vídeo em sites de terceiro, se quer cobrar simplesmente desabilite a incorporação por terceiro e deixe apenas os sites parceiros fazerem isso, simples assim.

    Agora distribuir uma coisa de graça e depois vir cobrar por isso, é um absurdo é isso que acontece quando gente velha e idiota que não sabe o que é internet, tenta criar novas maneiras de lucrar.

    Tem é que mandar esse pessoal da Ecad pra casa do caralho.

    Responder
  31. Rodrigo

    Uma palhaçada, só podia ser no Brasil. O ECAD tem que ser inteiramente reformulado. E os R$128mil que eles pagaram “ao autor errado”. Aposto que se não viesse à tona esse suposto erro jamais apareceria, néam?

    Responder
  32. Alex

    Boas!!!

    Mova o site para servidores no exterior (Reino Unido, Holanda tem excelentes networks), preferencialmente troque o dominio para um .com, perderá um pouco de latência mas não pagará nada ao ECAD.

    Responder
    • Alex

      Completando, também Suécia, mas os serviços são mais caros. Na minha opnião a melhor opção é holanda.

      Responder
    • Alex

      Completeando 2, a leaseweb.com na Holanda possui uma das melhores networks, são extremamente profissionais e com preços imbatíveis.

      Responder
  33. Hailton

    Cara, isso deve ser eliminado da face da terra. Cobrar por uma coisa que você não produziu. Daqui a pouco ta cobrando da gente até pelas publicações na nossa página nas redes sociais. Se não está protegido por senha é de livre acesso e assim de visualização pública. Eles estão cobrando uma coisa que as empresas disponibilizam de graça.

    Responder
  34. Adriano

    Se vocês apenas embedam os vídeos, não entendo isso como nova reprodução ou propagação, pois continuam hospedados no mesmo local. Vejo como dupla tributação cobrar de vocês e do Google/Vimeo.
    Confio que numa disputa judicial vocês terão êxito e tenho certeza que essa batalha gerará tanta repercurssão negativa ao ECAD que eles não irão correr o risco de iniciar.

    Responder
  35. Camila Leite

    Quando li a notícia no Jornal O Globo, a primeira coisa que pensei foi: “E cadê a liberdade de expressão?” É um absurdo eles cobrarem de sites/blogs que não possuem fins lucrativos, até por que nosso trabalho não interfere na lei dos direitos autorais, por que até onde eu sei, um arquivo pode ser reproduzido, desde que seja feita a divulgação de seu autor? Me corrijam se eu estiver enganada.
    Com certeza, vocês possuem o apoio de toda a blogosfera!
    Precisamos lutar por, não somente, o que é certo, mas pelo que é nosso por direito.
    E se não temos liberdade para falar, o que mais podemos fazer?
    Beijão!
    Camila Leite

    @sonhospontinhos
    http://sonhosentrepontinhos.com

    Responder
    • Vera

      Celso muito boa sua matéria e se vc permitir como usuária da internet colocarei essa imagem do final do seu blog no meu perfil em sites sociais. Muitos ainda não estão sabendo dessa VERGONHA!!!
      Link da imagem por Celso Barbieri:
      http://www.celsobarbieri.co.uk/images/stories/ecad/ecad_sangue_suga.jpg
      Vamos todos nos mobilizar para denunciar o ECAD e sua cobrança indevida.
      Nesse momento vou retirar todos os meus vídeos de meu perfil no orkut e face.
      E colocar essa imagem em minha página.
      Todos juntos por uma internet limpa, justa e livre.
      Apoio o Caligraffiti.

      Responder
  36. Thiago Barbosa

    O principio básico da internet 2.0 é o compartilhamento de recursos, acesso livre as informações, construção compartilhada….. enfim, o ECAD é uma entidade que quer engessar e limitar o processo criativo. Artistas só são artistas por que buscam inspiração, conhecimento e recursos em outros artistas, sem essa troca, o que serão dos próprios artistas e o que será do próprio ECAD?!

    Responder
  37. Angelo

    Eu e meu blog também apoiamos a causa, não faz sentido cobrarem por um produto publico, ainda mais de alguém que compartilha sem a intenção de lucrar em cima disso

    Responder
  38. Bernardo

    essa lei por si só é obscura e aleatória, se baseia em probabilidade, é o jeito mais facil de fazer dinheiro, quem a criou ainda lucra com isso, esse país é nosso e não de 180 advogados preguiçosos, essa lei prejudica inúmeros artistas independentes ao invés de promover o direito dos mesmos, agora mais essa na internet, é um retrocesso e eles tem álibi pra dominar o mundo com essa brecha, isso tem que ser revisto urgentemente

    Responder
  39. Ricardo Fukasawa

    Nao sou especialista nem leitor do blog, mas li pelo globo o absurdo que o ECAD quer fazer. Quis vir aqui apenas para dar uma sugestao:
    Quando alguem dah o upload de algo para o Youtube, nao estah abrindo mao dos direitos de receber $$? Se vc ler nos termos de uso:
    “For clarity, you retain all of your ownership rights in your Content. However, by submitting Content to YouTube, you hereby grant YouTube a worldwide, non-exclusive, royalty-free, sublicenseable and transferable license to use, reproduce, distribute, prepare derivative works of, display, and perform the Content in connection with the Service and YouTube’s (and its successors’ and affiliates’) business, including without limitation for promoting and redistributing part or all of the Service (and derivative works thereof) in any media formats and through any media channels.”
    Acho que esse paragrafo eh bem claro: ROYALTY-FREE!!! Entao quem submeteu video para o youtube nao tem direito de cobrar $$ nenhum sobre isso, nao eh?

    Espero que isso ajude vcs a vencerem esse absurdo!

    Responder
  40. Fernando Santos

    Mas não dá para argumentar que o embed de um vídeo do YouTube acontece via IFRAME?
    Um iframe nada mais é que “mostrar um teco de outro site”, é a mesma coisa que colocar um link, só que é como se você estivesse acessando 2 sites (ou mais) ao mesmo tempo.
    É possível colocar na mesma página um iframe apontando para o Bing e outro apontando para o Yahoo (não cito o Google porque ele impossibilita o uso do próprio site via iframe). Com um teste simples como este, acho que qualquer juiz entenderia que o vídeo não está no seu site, a banda da transmissão também não sai do seu site. O site nem está “retransmitindo”, ele está abrindo uma janela dentro de uma janela para mostrar um arquivo que está em outro site.

    Um exemplo de como isso é ridículo:
    Studios de TV recebem para que seu conteúdo seja transmitido pelo site hulu.com (só dá para ver vídeo se você estiver nos EUA).
    Aí um garoto de 10 anos cria um blogger de graça e enfia um iframe apontando para o Hulu.
    Os Studios de TV vão poder enviar cobrança para o garoto por ter feito 1 linha de HTML?

    Responder
  41. sonoraletrante

    Eu tenho um pé de carambolas que dá o ano todo. O terreno não é cercado, muito menos há aviso da proibição do usufruto, com todo o sentido dúbio embutido que a frase merece. As frutas estragam, servindo de adubo e comida pra insetos e pássaros. Um belo dia algumas pessoas, vendo que há tanto a ser consumido, resolvem pegar algumas do pé, madurinhas que estavam, e comê-las, deliciando-se, levando, inclusive, pra conhecidos que desconheciam o sabor da fruta. Mas eis que apareço provando ser o dono do terreno, do adubo, da água, da árvore, das frutas, dizendo ser dono da propriedade e que, por isso, cobrarei por cada fruta catada sem minha autorização, acabando com a farra.
    Agora me responda, carambola é doce, azeda ou amarga? (até fiz um post no meu blog, sonoraletrante.blogspot.com…e advinha? não paguei direitos autorais…ainda.)

    Responder
  42. Sérgio

    Mas é muita mesquinharia hein? Pensava que não encontraria uma instituição mais oportunista e parasitária que a Ordem dos Músicos, mas o lixo do ECAD superou com essa atitude delirante.

    Vamos divulgar este absurdo e comprar a briga.

    Responder
  43. Lázaro

    Não conhecia este blog até ver a notícia. Não fiquei só indignado – É revoltante ver que mais uma instituição, que se for ver a real, não serve para absolutamente nada a não ser meter a mão no trabalho dos outros para sustentar o seu cabide de empregos, como tantas outras, descobriu essa brecha.
    Em qualquer lugar do mundo o ECAD, pela sua forma de atuação, já teria sido extindo pela sua ineficácia. Se observarem, pouco se fala do ECAD – mais um órgão, ou melhor, mais um “tumor” na sociedade brasileira.

    Responder
  44. Lucas

    Hospeda o seu site lá fora (.com) e depois redireciona o .com.br

    Como está hospedado fora do país ninguém vai poder ter perturbar.

    Esse ECAd é uma grande vergonha nacional. Cadê o anonymous pra dar uma lição neles ?? bem que eles podiam divulgar uns “documentos” internos rsrsrs

    Responder
  45. Seiichi Okada Pereira

    Uma tentativa abusiva de tentar arrecadar mais dinheiro da mesma fonte.

    Não há retransmissão, pois não há cópia realizada pelo proprietário do blog, o que há é uma referência ao site que hospeda a obra e que já paga pelo direito autoral, nosso Brasil é realmente um país onde os órgãos de arrecadação fazem de tudo pra sugar o máximo que podem da sociedade.

    Responder
  46. Marcos Venicius

    Hospede seu site em servidores fora do Brasil e mude seu domínio para .COM. O ECAD é um poço de lama e está cheio de processos, inclusive de artistas, que reclamam pelo repasse inadequado ou a falta dele.

    Responder
  47. Alex Maciel

    Como diria a genial Cecília: “Liberdade, essa palavra que o sonho humano alimenta, que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda…” Será mesmo? Olha aí o ECAD confundindo alhos com bugalhos… Essa ultrapassada entidade está para a internet como a saudosa fita cassete está para o mp3.

    Veja só que incoerência: Com a boa intenção de defender o músico, o ECAD acaba prejudicando os principais meios de divulgação e execução da própria música. Ou seja, uma paradoxo e um obstáculo absurdo contra a própria arte musical.

    Sobretudo por querer regulamentar a internet. Será como enxugar gelo. Além disso, é a liberdade que está em jogo, e não a legalidade de uma lei equivocada.

    Ora, é isso que acontece quando queremos e lutamos por mais e mais regulamentações. Um tremendo erro! E onde fica a liberdade do indivíduo, no caso o músico, de defender-se sozinho sem que um escritório de burocratas governamentais surrupie impostos em seu nome? A regulamentação excessiva é um câncer. Ontem, taxaram o Facebook e o Youtube, hoje cobram o Caligraffiti, amanhã, como dito sabiamente num dos comentários, seremos taxados por tocar violão em casa.

    E tudo isso através de leis, esdrúxulas e absurdas, que afrontam a liberdade das pessoas. É o ECAD querendo surrupiar na internet, a Anvisa regulamentando o que, como e quando devo comer, beber, transar… Até cota para conteúdo nacional em TV a cabo querem nos impor goela abaixo… Para proteger o dito “conteúdo nacional” baixam na base da canetada uma lei que fere a livre escolha do espectador… Francamente!

    Cuidado minha gente, é isso que dá querer que um governo e suas leis nos defendam em tudo. Aliás, quem irá nos defender delas?

    Com bem disse Frederic Bastiat: “A lei não é o refúgio do oprimido, mas a arma do opressor.” E ainda Tácito: “As leis abundam em Estados corruptos.” Por fim, Montesquieu: “As leis inúteis debilitam as necessárias.”

    Estamos juntos rapaziada do Caligraffiti, o ECAD que vá procurar sua turma!

    Responder
  48. Rimar

    Nao conhecia este blog, cheguei atw aqui atraves do Estadão, achei que isso foi a maior palhacada que ja aprontaram, isso é Maior saca.agem

    Responder
  49. Viviane

    Bom, como advogada, eu penso que, ao receber uma cobrança dessas, todos devem fazer como o pessoal aqui do site: procurar conversar com um advogado, antes de pagar.

    A brecha legal que permite que cobrem é a mesma que dá margem pra discutir na justiça. Brecha é brecha e é sempre via de mão dupla: a abertura é pros 2 lados.

    Já organizei eventos (lucrativos) em uma empresa e já tive que cuidar de muita papelada envolvendo pagamento de ECAD e a coisa funciona de um jeito muito sacana, mesmo. Triste que nunca vi nenhum artista receber parte dos direitos, especialmente artistas que se apresentaram nos tais eventos que o ECAD arrecadou essa grana nossa.

    Engraçado agora o ECAD passar a lidar com este tipo de cobrança de blogs. Pra mim, parece desespero. Tenho minhas idéias, opiniões e teorias sobre, mas não vem ao caso.

    Contudo, gostaria de compartilhar 2 notícias que também li hoje, a propósito dessa situação.

    Curiosamente, recentemente foi submetido à Câmara um projeto de Lei que dificulta a vida do ECAD, possibilita o surgimento de outros “cobradores” e fornece boas bases para as pessoas brigarem contra as cobanças abusivas do ECAD: http://www.vermelho.org.br/mg/noticia.php?id_secao=10&id_noticia=176259
    Curiosamente, também, já outro projeto de alteração, dessa vez da lei do próprio ECAD, para isentar alguns tipos de “retransmissões”: http://www.engeplus.com.br/0,,41917,Prta-de-alteracana-lei-dEcad.html (pois é, gente, até na sua festa de casamento, você deve pagar).

    Acho que tem que se divulgar estes projetos e fazer pressão para que virem leis, e leis efetivas, isso é que vai possibilitar mais armas e argumentos na briga contra o ECAD.

    Responder
  50. Viviam

    Uno, achei um absurdo tudo isso! Fiquei pasma em saber que alguém poderia cobrar de formadores de opinião a DIVULGAÇÃO de vídeos que estão na WEB – que deveria ser livre em um país onde a informação circula livre; OU NÃO?

    Parece que os dinossauros do Brasil estão cada vez mais hipócritas, fingindo cumprir leis e regras que apenas mascaram o aumento do dinheiro em seus bolsos. E o pior de tudo, pelo que sei, é que o dinheiro não vai pros artistas… vai pra eles!

    Aliás, pensei que estávamos no caminho de os artistas ganharem dinheiro através de shows, eventos, uso de imagem ou som em meios COMERCIAIS… Agora isso aparece pra mostrar que essa luta perdida ainda continua.

    Mas calma lá, blog é um meio de INFORMAÇÃO. Como eles podem cobrar por algo que é para contribuir com a informação pública?! Ainda mais os blogueiros que geralmente não sobrevivem de seus blogs. E mesmo se sobrevivessem… Afinal, pra divulgar um lançamento de filme ou de um artista, os jornais e revistas não pagam pelos direitos autorais! Porque eles informam. Isso deveria se enquadrar aos blogs também.

    Estou muito fora da realidade? Ou é só porque estou no Brasil mesmo?

    Agora Uno, me diz uma coisa… Não rola um abaixo-assinado pra mudança dessa lei?

    Responder
  51. S. Abreu

    É ridícula essa cobrança do ECAD… Daqui a pouco teremos que pagar pelas músicas que assoviamos dentro de nossas casas, ou pior, imagine tendo que pagar quando se canta no chuveiro… Portanto, tomem banho calados… teremos que ficar “Pelado, Pelado, Mudo e com a mão no bolso”…

    Responder
  52. Jurandir Rafael

    Os senhores funcionários do ECAD provavelmente ainda estão vivenciando uma Web1.0. Precisam se informar, precisam conhecer a Web do compartilhamento que é a Web 2.0. Isso é um absurdo ! Realmente devem estar muito ociosos ou a ganância em querer mais e mais está instaurada por lá.

    Responder
  53. Anonymous

    A hospedagem do seu website fora da Banânia (também conhecida como Brazil) ficará mais barata e voce não terá que responder ao ECAD. Remova os links para os tais “artistas”. Eles é que deveriam pagar pela publicidade.

    Responder
  54. Silvia

    Eu também tenho um blog, sem fins lucrativos e concordo com a postura de vocês e farei o mesmo, caso meu blog seja contatado.
    Não pagarei, não preencherei formulário, se quiserem me levar presa, levem…
    Vou bater o pé, mostrar que no Brasil, blogueiro, que quer levar informação DE GRAÇA, cultura, que não tá traficando, é perseguido e tem que pagar e bandido tá tranquilo.
    Meu princípio é: não se tira dinheiro de onde não se tem, de onde não entra. Então não vou pagar pelo que não recebo e pronto.

    Sucesso em sua empreitada. Ou melhor, na nossa empreitada

    Responder
  55. FUSCA

    O” sambá triste” é a música TRASH composta pela atual representante do “ECAD”dentro do MINISTÉRIO DA CULTURA.—P2P FORÇA TOTAL

    Responder
  56. Kim Dotcom

    Por que nao hospedar o seu site em Tuvalu (.tv) ou em qualquer outro pais fora da jurisdicao do Ecad ?

    Responder
  57. tovir

    Vou apenas reforçar o que já foi falado: todo artista deve ganhar por sua obra; o problema é que esses tipos de órgãos são criados para beneficiar apenas a industria (dinossauros da era do k7, vinil,…), e como ainda movimentam bilhões, creio que pelo mundo afora, tem muito político com rabo preso faturando com isso.

    Felizmente, alguns felizes músicos que sabem gravar cd´s, fazer shows e vender música a preços acessíveis – não abusivos – pela internet não estão nem aí para todo esse atraso.

    Força, galera!

    Responder
  58. Denise

    Olá!
    O ECAD é uma empresa privada, isso significa que só tem direitos de arrecadação sobre as obras de quem é associado a ela. Até hoje não compreendi o porquê da ECAD ter acionado a justiça para receber sua parte em direitos autorais da apresentação do U2 no Brasil pois a banda não é associada da instituição, os direitos foram repassados diretamente à banda. A legislação brasileira é conivente.
    Não sei se isso tem importância maior, mas caso o pior venha a ocorrer informe o advogado a argumentar sobre que tipo de lesão vocês cometeram e quais artistas associados a empresa se tratam.
    Estou torcendo para que tudo dê certo. Para vocês, é claro!

    Responder
  59. Diego Reigoto

    É tudo tão absurdamente absurdo que a primeira coisa que pensei era se eu estava lendo uma piada (quando li a notícia). Mas vi que a piada é nosso próprio país e suas leis caducas… Triste ver uma coisa dessas, isso sim!

    Responder
  60. Jaques Walter

    Se todos os representantes do ECAD do Brasil forem iguais ao representante de Foz do Iguaçu, então falo de boca cheia: São todos bandidos: porque o cara que representa o ECAD aqui em Foz quebrou o braço do meu falecido tio com uma barra de ferro, na porta do elevador. Ele tentou acertar a cabeça do meu tio que levantou o braço, fraturando o osso, porque meu tio estava com bebe recém nascido e pediu pra abaixar o volume do som. Desculpe citar isso, mas é pra ver o tipo de gente que trabalha nesse orgão. Pra enriquecer o tema deixo dois links para apreciação:

    http://correiodobrasil.com.br/cpi-do-ecad-ouve-ivan-lins-e-sandra-de-sa-na-proxima-semana%C2%A0/285055/

    http://arquivoabraco-rj.blogspot.com/2010/08/tj-decide-que-ecad-nao-pode-cobrar-taxa.html

    Abraço a todos e sorte!

    Responder
  61. Gustavo Freitas

    Escrevi um artigo no Quero Criar um Blog e convoquei todos os blogueiros a fazerem o mesmo. Vamos pressionar e lutar por mudanças nas leis ultrapassadas.
    Abraço.

    Responder
  62. Bruno

    Revoltante. Esse ECAD virou uma máquina de arrecadação e corrupção, subvertendo qualquer lógica. Vídeos do Youtube publicados em blogs contam como visualização no Youtube, a cobrança é obviamente dupla. Assim como é absurda a taxa cobrada de cinemas, quando o produtor do filme já remunerou o cantor pelo uso de sua música no filme.

    Cobrar uma taxa de blogs e sites é tão insano quanto cobrar uma taxa da Samsung ou da Sony, porque fabricam aparelhos de TV que ‘retransmitem’ programas com música produzidos pelas emissoras de TV.

    Responder
  63. FUSCA

    Algum blogueiro ai já recebeu já recebeu o boleto do ECAD?Se recebeu não pague!Vamos entrar na justiça contra a picaretagem—BLOG DO SERGIO AMADEU

    Responder
  64. Machos de Respeito

    Não ceda não. Esses filhos da puta tem que parar de inventar taxas, cobranças e tudo mais. Daqui um dia, se você usar uma camiseta de uma banda que não seja oficial, você terá que pagar uma mensalidade pra poder usar ela. Este país esta a beira do ridículo. Censura é o caralho!

    Responder
  65. Rogério

    Realmente um absurdo essa cobrança do ECAD, já recebe do youtube e agora quer cobrar de blogueiros…
    Os autores já receberam pelos videos, desde a produção ou a compra, no caso de fãs que postam musicas de CDs/dvds comprados, em suma mais uma instituição Brasileira que é inútil e só serve para roubar nosso dinheiro.

    Responder
  66. Ricardo

    Fazendo uma correlação. o ECAD não passa de um sindicato patroinal dos Artistas, perguntem a estes quanto recebem do orgão, não passa de uma grande Cx. preta, vamos dizer que o artista recebe 10 % do valor arrecadado, se receber , o que é feito dos outros 90 %, como eu disse no inicio é como a diretoria e presidencia de sindicatos, somos obrigados por lei a pagar , mas não recebemos nada em troca, e o que eles fazem com o dinheiro ?, a maioria paga suas mordomias de viagens , inclusive até levando as amiguinhas nestas viagens principalmente a Brasilia. fato este já largamente comprovado.

    Responder
  67. Billy Pineda

    isso me lembrou de uma aula da faculdade de informatica q tive com um professor de direito falando que se vc fizesse uma festa tipo para 50 pessoas o ECAD pode cobrar uma taxa pela execução da musicas foda , p cacete .. é esse brasil affff

    Responder
    • Ava Blanc

      Sendo assim eles bem que podiam cobrar daqueles vizinhos barulhentos que fazem festa com som estrondando, e deixar os bloggers em paz, não é?! A gente só divulga trabalhos, pf!

      Responder
  68. Adriano de A. Pinto

    É um total absurdo o que o Ecad está fazendo. Por exemplo, no meu site http://www.ricosabor.com.br, não faço vendas, somente um visual institucional. Em vídeos, coloquei dois vídeos de programas de TV que falaram do restaurante. Eles mesmos produziram e pagaram os direitos autorais. Agora o ECAD me cobra R$360,00/mes por essa veiculação.
    Não temos mais direitos nenhum, nem mesmo do que é nosso.

    Responder
  69. Roberto

    Amigo, Quando uma pessoa ou empresa posta um vídeo no YouTube, ele concorda ou não que o vídeo tenha exibição pública, inclusive, através de link e incorporação em outro site ou blog. Assim, não pode o Ecad querer cobrar o que o autor do vídeo disponibilizou ao público.
    Roberto
    http://www.maringaemacao.blogspot.com

    Responder
  70. Ava Blanc

    Ridículo isso! É um reflexo do ACTA, mas ao contrário dele não visa censurar com base em direitos autorais relativamente embasados na lei, mas sim ganhar mais dinheiro! O servidor já paga os direitos, e nós não temos mais nada com isso!
    O que o ECAD diz sobre os artistas famosos e renomados (como Foo Fighters e Coldplay) que colocam seus vídeos em canais oficiais no YT para divulgação? As politicas de incorporação do YT já não cobrem isso?
    A Lei brasileira é nojenta e muito defasada, cheia de brechas. O que nós precisamos é de uma nova Constituição!

    Responder
  71. Ed

    a internet é baseada em links, em repostagens. quem esse ECAD pensa que é? vai cobrar mensalidade de todos blogueiros agora?!! mutirão contra eles!!

    Responder
  72. beto

    pera ai. Quem põe os vídeos no youtube não possuem a opção de proibir ou não o compartilhamento do mesmo?
    Logo, se se permite o compartilhamento, ninguém está violando o direito autoral de ninguém.

    Responder
  73. ricardo

    É, fico muito triste que aqui no Brasil, somos assaltados dentro da “lei” que nossos queridos comandantes la de Brasilia nos impõem. Nossas “autoridades” compartilham desta pouca vergonha sabe-se lá a custo de quanto recebem. Ha alguns anos atras fiquei pasmo quando um fiscal do ecad entrou em minha loja querendo receber a “taxa” (que para mim não passa de mais um artificio de arrecadação de políticos, já que os artistas sequer tem como controlar a arrecadação), apenas por estar com uma pequena televisão em baixo do balcão para me distrair nas minhas horas de ocio. Pelo que ele me falou, qualquer meio de comunicação em local publico esta sujeito a cobrança.
    Gostaria muito que o sistema de cobrança fosse o mesmo na saude publica, e no dinheiro publico gasto em prol do cidadão.

    Responder
  74. Mentorbreak

    Sou blogueiro aqui em Belém do Pará e realmente acho um absurdo esse tipo de engajamento que visa apenas minar e dificultar o trabalho. O pior é não intencionar lucros com nossas iniciativas e acabar sendo vítima destas mesmas intenções.

    Torço para que vocês continuem com o trabalho, é um direito de vocês.

    Responder
  75. Klauber Cristofen Pires

    Sugiro conhecerem o meu artigo ArrECADe!, em http://libertatum.blogspot.com/2011/05/arrecade.html. Sugiro publicar aqui, se for da conveniência de vocês.

    A Escola Austríaca de Economia não reconhece a legitimidade dos direitos de propriedade intelectual ou autoral, com base de que as ideias não pertencem a ninguém. Para esta corrente de pensadores, a única propriedade legítima é a propriedade física. Para saber mais, sugiro visitar o site do Instituto Ludwig von Mises Brasil.

    Responder
  76. Jonatas do Vale

    Não sou leitor deste blog, mas fiquei sabendo dos problemas enfrentados com o ECAD. Entretanto essa cobrança é cláusula nula. Eles não tem o direito de cobrar sob alguma coisa sem perguntar ao autor (no caso quem gravou o video) se é permitido ou não divulgar o seu material. Isso vai contra a Primeira Emenda, cuja mesma refere-se à liberdade de expressão.
    Acho válido começar a procurar um advogado.
    Cordialmente,
    JoeVale.

    Responder
  77. luiz

    è ridicula essa cobrança, ainda mais que video embedado nao é video hospedado. Essa galera está mesmo mto louca.

    Responder
  78. jbineli

    Isto é uma tremenda distorção do espírito da lei.
    Entrarei em contato via email com vocês e me disponho a colaborar de todas as formas necessárias para apoiar vocês nesta discussão pública e saudável para que criemos um marco de jurisprudência que coloque “pingo nos i’s”.
    Saudações “altaneiras”!

    Responder
  79. Rico Romano

    Bom, o próprio Ecad menciona que não podem isentar a cobrança sem a expressa declaração/vontade do autor da obra.

    Sendo assim, ao publicar uma obra na Internet e colocar disponível um botão “compartilhar” ou “incorporar” junto à essa obra, o autor está declarando e expressando sua vontade de autorizar qualquer pessoa a executar, transmitir e retransmitir sua obra sem a vinculação a qualquer tipo de pagamento. Se o desejo de pagamento por veiculação, transmissão ou retransmissão fosse desejo do autor da obra, este deveria estar explícito na mídia o qual foi publicada a obra e com certeza ele não utilizaria Youtube ou semelhantes para isso.

    Fica claro então que ao publicar uma obra em uma mídia que se dispõe a transmitir e permitir a retransmissão o autor da obra está concordando em isentar a todos de taxas e cobranças.

    Mas e se uma música que estiver sendo utilizada em um vídeo não tiver com autorização do autor, aí que o Ecad vá atrás do autor do vídeo. Eles é que têm o papel de fiscalizadores não a mídia que está transmitindo ou retransmitindo.

    Não é possível que um juiz vá dar ganho de causa a uma situação que o ecad está querendo distorcer a seu favor.

    Responder
  80. Alexandre Kucarcz Cordeiro

    Era só o que faltava mesmo! Todo mundo quer ganhar dinheiro. O problema é esses órgãos de M****** igual ao Ecad que querem assaltar nós blogueiros e deixar a internet muto mais travada.
    Só tenho uma coisa a dizer!
    A internet é livre! E ninguém vai mudar esta regra…

    Responder
  81. Arthur

    Pessoal,

    Eu achei um absurdo esse lance do ECAD e me sinto envergonhado de ser brasileiro…uma boa saída para a internet e hospedarmos nosso site em países que não tem esse lance de direitos autoriais. Agora uma coisa que me preocupa…como não dar dinheiro para esses ladrões no caso de buffet, por exemplo? Recentemente um amigo meu dono de um buffet de casamento recebeu uma notificação de que será necessário pagar o valor mensal de R$ 1.200,00?

    Responder
  82. Sérgio Nascimento

    O meu blog abordou, também, esse assunto. Também publico vídeos do YouTube e acho isso um absurdo. Eu Apoio vocês do Caligraffiti. Liberdade de expressão vale mais do que direitos autorais!!!

    Responder
  83. Jonatan S Silva

    Força! Não paguem nada, chega de ser otario nesse pais maldito.
    A turma da Blogosfera é muito mais experta do que o povo burro que assiste BBB e aceita tudo do governo corrupto.

    O dia que tivermos atitude e a coragem dos Americanos e do povo do Egito. Seremos levados mais a serio e não iremos mais ser palhaços.

    Coragem! Mostrem ao lixo do ECAD que não são palhaços.
    O ECAD não paga nada a ninguem, é como o governo que diz que faz algo pelo povo, e na real só nos rouba e fazem fortunas em cima de nos.

    Responder
  84. Rick Fa...

    Cuidado gente, se vocês forem sair em algum local público, não cantem, não citem filmes, séries, shows, etc e nem contem piadas, só comprimentem o proximo e mais nada, pois daqui a pouco a PM poderá lhe dar um flagrante de violação de direitos autorais e levar-lo preso.

    Responder
  85. Contos Inacabados

    Muito foda, temos que enfrentar mesmo… eu tenho um blog pequeno com menos de dois meses de vida.
    Sou de classe média baixa e não tenho um “puto” pra pagar uma taxa abusiva dessas… governo tá estrapolando, considerando o povo mais do que idiotas, acham que somos plantas paradas e indefesas.

    Vamos parar de protestar apenas na internet… dia 18/06 eu estarei na “Marcha da Liberdade”, reivindiquem seus direitos. Quem não sabe nada sobre o assunto pesquise “Marcha da Liberdade” ou “Revolução 2.0″ no youtube ou facebook.

    Responder
  86. Bruno

    O ECAD é uma vergonha.
    Na verdade o ECAD deveria ser multado por cobranca abusiva ou algo do gênero.

    Responder
  87. Corsario

    Respondendo ao Bruno, sobre cobrança abusiva:
    Em caso de cobrança indevida, o consumidor deve exigir a devolução dos valores em dobro, caso tenha pago.
    Segundo determina o parágrafo único do artigo artigo 42 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), a devolução deve ser feita em dobro, com juros e correção. Só está isenta dessa penalidade a empresa que provar “engano justificável”.
    Quem enfrentar esse problema deve, primeiro, procurar a empresa e, se não obtiver êxito, recorrer aos órgãos de defesa do consumidor.
    Mas é importante atentar que, se o consumidor deixar de pagar a cobrança, seu nome não pode ser inscrito em cadastros de proteção ao crédito, como o Serasa, pro exemplo.
    Caso isso aconteça, o consumidor tem direito à indenização por danos morais. Nesta situação, cabe ação no Juizado Especial Cível, o local ideal onde o cliente poderá pleitear reparação por danos morais e materiais.

    Responder
  88. Sady

    Uma pergunta que não quer calar.
    Será que os artistas estrangeiros recebem do ECAD os direitos ?
    Quem faz auditoria neste órgão ?

    Responder
  89. Embaixador

    Retorno ,agora menor revoltado. Nos anos 60 o caminho da ditadura foi exatamente esse, censurar as expressões culturais e artisticas, é o caminho de todo ditador. Agora, qto ao caso desse blog eis umas sugestões:
    1- O Video esta na Net (aberto ao Publico)
    2- Tem um codigo ref ao Video ( pra que?) – induzir ao erro?
    3- O artista que postou não o fez exibição privada por que? ( Não sabia que havia a posibilidade de cópias? se fosse o caso)O que o artista queria com esse Video?(certamente que um 100 nº de usuarios o conhecesse,então compartilhar é o sucesso, não? qto se ganha para isso?)
    4- O site ao liberar o Video com o codigo passa a ser tão responsavel pelos direitos autorais se é que existe , qto quem compartilha;
    5- Ao ter o codigo se torna publico permissivo a copia a compartilhar ;há direito no que é publico e sob a permissão do artista dono do Video? caso contrario pra que o código?
    Leve para um advogado .

    Responder
  90. Rx

    Eu acho que há uma falha no raciocínio do ECAD: a incorporação de vídeos em uma página web não pode ser considerada transmissão pública, pois normalmente há só uma pessoa assistindo.

    Responder
  91. FUSCA

    A melhor resposta ao”ECAD”é consumir SOMENTE música em Creative Commons,aqui tem milhares,use e abuse va.mu/BHfb =dossiê ECAD

    Responder
  92. Marcus

    Eu tô com vocês. ECAD é uma regressão. Os políticos em sua maioria, não entendem que a web é colaborativa. O compartilhamento é o que torna ela tão rica na troca de conhecimento. Concordo com a saída que algumas pessoas deram acima, se essa palhaçada continuar, farei a mesma coisa em meu blog, colocando uma imagem que linka para o host de vídeo.

    Mas acho que vale a pena bater de frente, não podemos abaixar a cabeça para isso. Pois, hoje o ECAD quer que paguemos pelos vídeo, amanhã, outro órgão pode querer que as imagens sejam removidas… Isso pode ser uma bole de neve sem precedentes.

    Abs.

    Responder
  93. Flavio

    Eu tenho um blog com webrádio que roda músicas completamente fora da casinha. Tenho pouquíssimos visitantes (e nem me importo com isso, quem gostar gostou). Não tenho anunciantes e não tenho lucro. Ao contrário, é uma iniciativa bancada por mim. E até não me importaria de pagar, mas algo justo para o meu porte. Ou seja: uns 10 pilas por mês. Mas fui fazer a simulação no site Ecad e sabe quanto eu teria que pagar: 1.800 reais. Aí não dá pra ser feliz, não é mesmo?

    Responder
  94. JotaK

    Bom… é simples provar que o conteúdo está apenas sendo compartilhado… pega o código do EMBED do youtube e mostra que a transmissão tem o url fixo que é do Youtube, que o Caligraffiti não faz nada a não ser exibir um vídeo que é público na internet para qualquer pessoa… é a mesma coisa que apenas inserir um link que levará o usuário ao site do youtube para assistir. O que no final das contas daria no mesmo…

    Responder
  95. pietro

    Simplesmente ridículo, eu vi que o Leoni tem comentado isso no Facebook com indignação. e com razão, chega de roubalheira… uma maneira de manifestar seria um boicite ao yiu tube, visto que eles fecharam acordo com o ECAD para quie este cobre esses direitos… quer dizer, se eu quiser divulgar o video do ze da esquina cantando vou ter q pagar por isso??? Boicote ao you tube e abaixo assinado pra valer contra o ECAD e divulgação no face e outras redes… chega de ser lesado e ver nossos artistas morrerem sem reconhecimento e na miseria por causa desses imbecis.

    Responder
  96. Playax

    Titulares que discordam da cobrança feita aos blogs que “retransmitem” vídeos do YouTube, podem comunicar sua Associação e, consequentemente, o ECAD, o desejo de exercer a defesa pessoal e o direito de não cobrar dos blogs. Mais detalhes aqui: http://phnb.ms/zuBtii

    Responder
  97. FUSCA

    ECAD cobra taxa mensal de blogs que utilizam videos do YOU TUBE. A lei é ridícula ,mas a ANA DE HOLLANDA não quer mudar.

    Responder
    • Luciano Silveira

      Ate porque a Ana de Hollanda, mesmo se quisesse, nao tem legitimidade nem competencia para mudar lei nenhuma…. A elaboracao de leis é competencia exclusiva do Poder Legislativo.

      Responder
  98. Guilherme

    Olhem a matéria do Edson
    http://www.edilsonvitorelli.com.br/2012/03/por-que-o-ecad-esta-errado-uma.html

    A partir do momento que você embedar um video, você esta criando um link para o site de origem,por exemplo youtube, o mesmo paga sim por direitos autorais, mais o blog não pois quando eu clico para ver o video eu estou vendo direto do youtube e não do site em si,então não tem como eles cobrarem isso dos blogs, informe-se mais ou vai pagar coisas que não tem nem cabimento!

    Abraços!

    Responder
  99. Richardson Santos

    Um absurdo. A rede é compartilhamento. Troca. Cobrar de grandes corporações que faturam muito, como o youtube, eu até compreendo. Mas cobrar de blogs e sites independentes? O Ecad demonstra o quanto é uma entidade atrasa e só pensa em planos de como arrecadar mais dinheiro. O mesmo já aconteceu com os podcasts que foram obrigados a fazer acordos financeiros para as trilhas sonoras.

    Responder
  100. FUSCA

    UNO DE OLIVEIRA…ECONOMIA CRIATIVA ,NÃO!!EU chamo o projeto da ANA DE HOLLANDA de ECONOMIA ENCARDIDA! É só conferir,gente!!

    Responder
  101. Marcelo

    Vivemos num país com altíssima carga tributária. A carga tributária perto de 40% é enganosa. É muito mais que isto. Cobranças tipo estas do ECAD nem entram nesta conta. E existem várias semelhantes. O Brasileiro paga várias vezes pela mesmas coisas. Isso é sei lá, não é a minha área mas é bi-tributação creio eu, tri, tetra-tributação. Há um excesso de leis, normas e regulamentos. A burocracia torna a vida de todos mais cara. Há um custo alto pra manter todas estas estruturas de fiscalização. Por que cobrar de pessoas que ouvem músicas em suas festas particulares (aniversários, casamentos, etc) se na hora da compra dos cds, dvds já foi imbutido uma taxa pros direitos autorais e as pessoas não estão tendo lucro com tais eventos? Por que cobrar do comércio que deixa um som ambiente de rádio, se as rádios já estão pagando o ecad? Me parece tudo errado. E sendo o ecad uma associação como pode ter o poder de representar e cobrar direitos autorais de músicos que não estão associados? O governo (não falo de partidos, falo em geral) só pode estar ganhando com a omissão quanto a estes abusos, ou então, tem medo de perder votos com a influente classe artística se impedir os abusos do ecad.

    Responder
  102. Marlon Alves Skãzi

    De acordo com o meu pobre entendimento, ao se disponibilizar o que quer que seja em uma rede social, [Facebook, youtube, flickr, vimeo, 1X, Olhares, entre outras] você está cedendo o direito de ser compartilhado na ausência do ganho, lucro, ou exploração de qualquer forma que seja, pois afinal, o item em questão ja está disponivel publicamente para o acesso em geral, o fato de ser re-compartilhado (principalmente no youtube) não tira o foco da origem do video, uma vez que, se clicarmos na logo do YT que fica em baixo do vídeo, o internauta será redirecionado para a pagina fonte do video, sendo este por sua vez de responsabilidade do transmisor…

    posso dizer também, em meu fraco entendimento que, se não me engano no YT-YouTube, contém uma opção onde desabilita o compartilhamento, se este compartilhamento estava ativado, é um tipo de autorização para a re-transmissão, não podendo ser feita cobrança nenhuma acerca do mesmo…

    Responder
  103. ryan emmanuel

    Seu site está hospedado nos E.U.A., portanto deve respeitar as leis de lá. O ECAD não tem qualquer poder sobre ele.

    Responder
  104. Vanguard

    1- Isso é anticonstitucional
    “Constituição brasileira de 1988
    • Art. 1º A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
    o V – o pluralismo político
    • Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, liberdade, igualdade, segurança e a propriedade, nos termos seguintes:
    o IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
    o VIII – ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei;
    o IX – é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença
    • Art. 220º A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
    o § 2º – É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.”

    2- para ser tido como retransmição vc teria de guardar o video ou musica de origem do youtube em um servidor seu e passa-lo no seu blog/site.

    3- Cobrança indevida, o serviço já foi pago pelo youtube paga-lo novamente é infundado.

    e por ultimo:

    Quem precisa pagar?

    4. Todos os veículos que realizam “transmissão” estão sujeitos à cobrança. Isso inclui rádios, emissoras de TV, sites na internet e outros. Não faz diferença se o site estiver hospedado no Brasil ou no exterior – o que importa para o Ecad é se ele provê acesso para o público brasileiro. Se sim, tem que pagar. É o caso do YouTube, por exemplo, que está hospedado nos EUA, mas paga para o Ecad porque pode ser acessado no Brasil.

    5. Importante: as regras do Ecad só valem para streaming, ou seja, incorporações (“embeds”) de sites como YouTube, Soundcloud, Vimeo, etc. e transmissões ao vivo. Material disponibilizado apenas para download (em .mp3 ou .avi, por exemplo) não conta.

    6. Não importa se o site está fazendo streaming do U2 ou de uma banda independente do interior do Mato Grosso: nos dois casos, a cobrança é a mesma. O Ecad avalia os sites de acordo com o tipo de distribuição que ele faz do conteúdo, e não de acordo com os artistas envolvidos na transmissão ou com a quantidade de vídeos e músicas publicados.

    Obs: Estou tentando entrar no site do ECAD e esta dando como se o site estivesse fora do ar?!

    “Tempo limite atingido

    O servidor http://www.ecad.org.br demorou muito para responder.

    Este site pode estar temporariamente fora do ar ou sobrecarregado. Tente de novo em alguns instantes.
    Se você não consegue carregar nenhuma página, verifique a conexão de rede do computador.
    Se o seu computador ou rede forem protegidos por um firewall ou proxy, certifique-se de que o Firefox esteja autorizado a acessar a web.”

    Anonymous ataque??????

    Responder
  105. Sabrina Coutinho

    Lamentável esse episódio, é uma falta de respeito com os blogs e nitidamente um meio de ganhar ainda mais dinheiro. A maioria dos blogueiros compartilham os videos porque gostam, querem indicar algo, dar base a um post, não é questão de oportunismo, de usar material que não é seu. Dá até raiva ver essa série de leis que aparecem tentando segurar a internet.

    Responder
  106. Luciana Vaz

    Eu não sabia o que fazer para colaborar, afinal, tb sou blogueira e mesmo não tendo recebido ainda um boleto, esse disparate afeta toda a blogosfera. A minha primeira idéia foi criar uma enquete e, dependendo de quantos votos e opiniões forem arrecadados, é o que pretendo usar para botar a boca no trombone. Mas se eu puder ser útil em alguma coisa, por favor, contem comigo. Beijos e sucesso. http://avitrine26.dihitt.com.br/noticia/vote-sim-ou-nao e http://www.tweetopiniao.com.br/vote/1405

    Responder
  107. rafael

    o engraçado, é que as gravadoras pagam ‘jabá’ para as rádios tocarem as músicas. o ecad quer fazer o contrário, quer que paguemos para ouvi-las. músico tem que ganhar dinheiro fazendo show, isso é trabalho. o cd é mera divulgação disso e que também é cobrado e bem caro no brasil. tão absurdo quanto, é o ecad cobrar por música em elevador ou transmitida pela NET, por exemplo, que é um caso similar ao do you tube, se você passar um vídeo da NET num bar, o bar tem que pagar o ecad pela retransmissão. é a cobrança da cobrança.

    Responder
  108. Claudya Rizhman

    A pergunta que faço é: depois de cobrar o ECAD repassa essa cobrança prá quem de direito? Ou seja, o artista ou autor recebe? Acho sem pé nem cabeça essa medida! Um absurdo…

    Responder
  109. Paulo Gomes

    É uma pena vivermos tantas possibilidades de compartilhar informação, conhecimento, diversão, liberdade e ao mesmo ainda ter que aturar um bando de gente que só pensa em compartilhar a ganância!
    Espero viver o bastante para ver o fim dessa era!

    Responder
  110. Débora

    Gente, estou apoiando vocês! Mesmo que não esteja por dentro dessa história, achei um absurdo essa medida do ECAD!

    Responder
  111. Carlos

    Aqui em Portugal chama-se SPA, e temos uma outra a AFP. Mas sobretudo a SPA tem como único objetivo ganhar dinheiro. Não importa como. Pagar, nada. Ser honesta, também não. Diz-se que 2012 é o fim do mundo. Devíamos pensar a sério nisso, e fazermos nós esse fim do mundo, atentando contra tudo o que mexesse, que pertencesse a estas entidades. Já que não temos quem nos proteja, devemos ser nós a fazê-lo. E com esta gentalha não adianta conversa. É ação. Porque eles não conversam connosco, simplesmente agem. Em respeito aos comentários do Luciano. Luciano, a ECAD, qualquer outra entidade, pode cobrar pelas exibições do Youtube. Mas já pensou quantos artistas são descobertos no Youtube? Quantos artistas lucram por nãolucrar nada do Youtube? Imagine aqui no blog publica-se uma música, um vídeo no Youtube. Eu, o Luciano, mais duas ou 3 pessoas. Gostamos daquela música, vamos saber mais sobre o artista, quem sabe até comprar um CD desse artista, e claro, vamos falar dele, divulgá-lo.. quem nos paga por essa divulgação? Então eu vou estar a dar boas referências de um artista, sem receber nada por isso? Mas se de repente, até no sentido de ilustrar com um embed do Youtube, o bem que falo desse artista, já vou ter de pagar…? Então, onde está a justiça? E os vídeos do Youtube, a ECAD recebeu por eles, ainda divulgaram o artista, que até resultou nalgumas compras de CDês… só falta exigirem-nos uma certa quantia por mensionarmos o nome dos artistas… sabe, Luciano, quem tudo quer tudo perde, e é o que vai acontecer com as editoras. Ou acha que se o Youtube um dia acabar, e atenção que esta possibilidade existe pelo processo da Viacom ao Youtube reaberto, se o Youtube um dia acabar, a internet vai ser a mesma? Onde se vão divulgar os artistas? Eu aceito recebê-los na minha sala de espetáculos; desde que paguem o aluguer do espaço. Cobrança de direitos autorais, ninguém põe em dúvida que devem existir. Até que ponto, sim. O asfixiamento pelo pagamento de direitos de autor, não ajuda a ninguém: atenta contra a liberdade do utilizador, impede uma maior divulgação dos artistas, sobretudo os em início de carreira, e consequentemente dificulta a progressão na carreira dos que já estão inseridos no mundo da música. Explique-me, como é que Michel Teló é um sucesso mundial. É por causa das compras legais. Não; podia sê-lo em Portugal, mas não o era na Alemanha, Suíça, França, Bélgica, Suécia, em tantos outros países onde esta música foi e ainda será número 1. Luciano, pode ser um excelente profissional e receber muito bem por isso. Mas, se puder receber mais, vai querer receber mais, certo? Mas se nos sair demasiado cara a sua divulgação, ficamos calados, e onde fica a sua fama? De repente as coisas no seu local de trabalho não correm bem, e o Luciano passa de bestial a besta, e ninguém sabe de si, ou não tantos quantos saberiam, se não cobrasse direitos de autor por tudo e por nada, até pelo inaceitável, pelo inexplicável, pelo inquestionável.

    Responder
  112. Guilherme AUMUMANA

    Um absurdo esse ECAD! Fiz um show no Sesc Tijuca dia 29/3, gratuito, e eles me disseram que para receber eu precisava da liberação dos direitos autorais das minha músicas, todas autorais. Entrei em contato com o ECAD e eles querem me cobrar R$ 411 !! Argumentam que como pedi o liberamento dos direitos depois que o evento aconteceu, não tem como liberar, só com o pagamento!?

    Pergunta: se eu pagar, alguem acha que esse dinheiro voltará para as minhas maos!?

    Alguém já passou por isso ou algo parecido?

    Responder

Deixe um comentário construtivo

XHTML: Você pode usar as seguintes tags: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>